Essa história de ano novo

Mais um ano acaba e já começa outro, e a única coisa que muda é que (mais uma vez) voltamos a contar seus dias desde o primeiro. Quando um ano termina, todo mundo se veste de branco e compra a idéia de que no dia 365 (ou 31 de dezembro) às 00h passaremos por um portal que mudara nossos destinos.

De fato algumas coisas mudam com a virada do ano, o acordo ortográfico, por exemplo, passou a vigorar no dia primeiro. Tem também os “novos” prefeitos e vereadores – aproveito o espaço para parabenizar o Beto Richa e os ilustríssimos vereadores de nossa “Capital Social” pelo estrondoso aumento na passagem do ônibus, mas sobre política e aumento de passagens falarei mais tarde!

Bom, a realidade é que para a sociedade civil o ano novo não tem portal nenhum. Quem está desempregado, continua se torturando, quem estuda só ganhou um dia a menos de férias, quem trabalha ganha um dia de descanso (já que o dia primeiro é o dia mundial da paz-em-um-mundo-cheio-de-conflitos, além de ser meu aniversário!). A programação da televisão continua um lixo, com mulheres rebolando e histórias que exigem pouco -ou quase nada- de senso crítico, as revistas na fila do mercado continuam ensinando fórmulas mágicas para ter o corpo da celebridade do momento, fofocando sobre a vida delas e falando mal do governo.

Ou seja, a realidade continua a mesma…  Para muitos de nós ela parece bem agradável, claro que existem dificuldades, mas ainda assim encará-la não é dos processos mais dolorosos. Caiamos então no lugar comum de que dificuldade é um dos aspectos que torna a vida de quem tem onde dormir e comer mais feliz, não discordo disso. Do que discordo, na verdade, é desse estranho hábito que temos de acreditar em todas as besteiras que o sistema nos coloca, neste momento me refiro diretamente as crendices de ano novo.  Fazemos planos, balanços, sonhamos e estabelecemos metas mesmo com plena consciência que não é só porque a recontagem se inicia que cumpriremos tudo o que estabelecemos no ano novo. Desejamos feliz ano novo para todos, sendo que, por mais que gostemos daquela pessoa seria hipocrisia dizer que tais votos vem diretamente do coração, e nada tem haver com uma convenção social!

Bom, antes o leitor se indague o porquê desse blá blá blá, é que me indigno com o fato de que só nos lembremos de falar aos seres amados nosso desejo de que ele seja feliz, quando o próprio sitema nos cobra isso: ano novo e aniversário… Então escrevi tudo isso para desejar feliz dia 13 de janeiro, e mais que isso. Que todos os dias possamos fazer balanços, traçar sonhos e imaginar metas, para que possamos a cada aurora nos tornar um ser humano mais digno desse sol que nos aquece.

Anúncios

O que você tem a dizer sobre isso? Fale mais...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: